German game company releases RPG for Litecoin blockchain

„It is the first major game to use the Litecoin blockchain in all interactions,“ said LTC creator Charlie Lee.

In an online event on September 15 hosted by the Litecoin Foundation , Litecoin ( LTC ) creator Charlie Lee and CipSoft CEO Stephan Vogler announced their plan to launch LiteBringer. This is the name of a fantasy role-playing game that runs on the Litecoin blockchain.

„It is the first major game to use the Litecoin blockchain in all interactions,“ said Lee

Vogler stated that the game is completely decentralized. This means that all users must operate a Litecoin node in order to play. He also noted that players must have at least some Litecoin in order to gain access. The game contains a „Litecoin tap“ through which some users can get a few Litecoin for free if they do not want or cannot transfer their own Litecoin.

„Every move in the game is a value-adding transaction on the Litecoin blockchain,“ said Vogler.

„If you are a good gamer, the LiteBringer name becomes part of the program and may bring you some Litecoins.“

According to Vogler, all weapons, characters and items in LiteBringer are stored on the LTC blockchain. He assured that the technology was „absolutely secure and decentralized“ because private keys are never transmitted. CipSoft chose the LTC blockchain because of its popularity and the fact that it offers low transaction fees. That would amount to „less than a cent per transaction“.

CipSoft isn’t the first blockchain or crypto company to bring blockchain RPGs to market to drive adoption. In May, Atari announced that the gaming giant had partnered with the Litecoin Foundation to enable gamers to use Litecoin to pay for a new video computer system. Infinite Fleet, an online game that also uses crypto , is currently run by Blockstream’s strategy director Samson Mow.

„Blockchain technology has enormous potential for online games in general,“ said Vogler. „I think sooner or later there will be games on every popular blockchain.

Bitcoin na Casa Branca: Democratas buscam mais detalhes sobre a apreensão de contas de terroristas

Dois democratas americanos pediram à administração Trump que revelasse detalhes a respeito da recente apreensão de mais de 300 contas em moeda criptográfica operadas por grupos terroristas.

Os democratas Josh Gottheimer e Emanuel Cleaver pediram à administração Trump que fornecesse mais detalhes sobre a recente apreensão de Bitcoin Profit e outros ativos em moeda criptográfica de três organizações terroristas, a saber, Al-Qaeda, Hamas e ISIS.

Mais informações pedidas para uma apreensão do BTC

A CryptoPotato relatou recentemente que o Departamento de Justiça dos EUA apreendeu mais de 300 contas virtuais contendo uma quantidade não revelada de moedas criptográficas pertencentes à Al-Qaeda, Hamas e ISIS.

Os três grupos terroristas haviam anteriormente empregado várias táticas, incluindo falsas campanhas de arrecadação de fundos, anúncios e sofisticadas redes de lavagem de dinheiro, para adquirir Bitcoin e outros ativos digitais.

O IRS, o HSI e o FBI conseguiram rastrear inúmeras transações de Bitcoin da cadeia de bloqueio e ligá-las a contas conhecidas operadas pelos três grupos terroristas.

No início desta semana, os representantes Gottheimer (D-N.J.) e Cleaver (D-Mo.) solicitaram à administração Trump que revelasse mais detalhes sobre toda a operação e a apreensão das moedas criptográficas.

„É vital que os membros do Subcomitê de Segurança Nacional, Desenvolvimento Internacional e Política Monetária recebam um briefing, no nível de classificação apropriado, sobre esta ação, a maior apreensão de financiamento do terrorismo on-line, do Departamento de Justiça, do Departamento do Tesouro sobre esta investigação“, escreveram os dois.

Cleaver é o presidente do Subcomitê de Serviços Financeiros da Câmara sobre Segurança Nacional, Desenvolvimento Internacional e Política Monetária, enquanto Gottheimer é um membro do Subcomitê.

Planos para interromper as redes financeiras dos terroristas

Embora o DOJ tenha realmente afirmado que esta foi „a maior apreensão de contas em moeda criptográfica operada por grupos terroristas conhecidos“, os dois representantes da casa acreditam que tais organizações se esforçam para empregar ativos digitais ainda mais devido a seu anonimato.

Conseqüentemente, eles alegadamente solicitaram que o Departamento do Tesouro revelasse seus planos para enfrentar operações similares ou outros atores maliciosos visando as redes financeiras dos EUA:

„Isto informará ainda mais o Subcomitê sobre quais ações legislativas devemos empreender para fornecer aos reguladores e à aplicação da lei os recursos e ferramentas adequados para continuar a lidar com o uso ilícito da moeda criptográfica e interromper as redes financeiras das organizações terroristas“.

Ao explorar o tópico do uso de moeda criptográfica para atividades ilegais, pode-se concluir que elas são de fato preferidas por maus agentes. Entretanto, uma análise mais aprofundada e vários outros relatórios indicam que o dinheiro e as moedas fiduciárias ainda são o método de pagamento mais utilizado pelos criminosos.